Boiron
BLOG BOIRON

Tudo sobre Homeopatia (e mais um pouco)


 

Nesse texto, vamos falar "tudo sobre homeopatia, e mais um pouco", para ajudar a acabar com as suas dúvidas sobre essa medicina, que muitos encontram como alternativa, e é utilizada como uma aliada importante dos tratamentos convencionais.

Afinal de contas, se você está por aqui, é porque, provavelmente, já ouviu falar sobre a homeopatia e quer conhecer um pouco mais. Ou então, você já sabe bem sobre as possibilidades do uso da homeopatia no dia a dia, mas quer conhecer melhor a história de como surgiu. 

Bem, de um jeito ou de outro, você veio ao lugar certo. Se você é recém chegado a esse universo, ou se você já conhece sobre a homeopatia e quer mergulhar ainda mais, conhecer mais sobre o que torna a homeopatia uma prática muito procurada por quem busca opções mais naturais (mas não menos efetivas) para cuidar da saúde, aqui no blog da Boiron você vai aprender muito mais sobre o que nos motiva a cuidar de você.

Venha com a gente nesse “mergulho" por tudo que torna a homeopatia esse assunto tão comentado e fascinante: a nossa paixão e missão.

O que é a Homeopatia?

A Homeopatia é uma prática de tratamento diferente da medicina “tradicional" (a chamada alopatia). A homeopatia é uma especialidade médica e farmacêutica (reconhecida pelos Conselhos Federais de Medicina e Farmácia), que busca maneiras de tratar o indivíduo sem agredir o organismo, através de medicamentos que restabeleçam o equilíbrio natural do corpo.

Na homeopatia, ao contrário da alopatia, os medicamentos são focados na necessidade do paciente como indivíduo, com necessidades únicas, por isso, foca seus esforços em entregar ao corpo todas as informações necessárias para uma cura natural, ao invés de atacar sintomas que, muitas vezes, podem não ser a raiz do problema.

Por conta de seus diferenciais, a homeopatia é buscada no tratamento de crianças, idosos, e até mesmo tem suas vertentes na agricultura e veterinária.

Mas de onde surgiu a homeopatia?

Mais ou menos 200 anos atrás, o médico alemão Samuel Hahnemann se deparou com uma nova teoria sobre uma possível cura para a malária. Enquanto traduzia, para o alemão, o tratado científico de um médico escocês, Hahnemann tomou conhecimento da tese de que malária poderia ser tratada com a planta quinquina.

A tese dizia que a planta curaria a malária por causa de seu gosto amargo, pensamento que não soou correto para Hahnemann que, então, decidiu ingerir um pouco da casca do arbusto da quinquina e testar por si próprio a veracidade da teoria.

Ao ingerir a casca da quinquina, Hahnemann foi acometido de febre, calafrios, e dor nas juntas, todos sintomas de um paciente com malária, por isso, chegou à conclusão de que os remédios, ao serem aplicados em pacientes saudáveis, causariam os sintomas da doença que deveriam curar.

Hahnemann, então, formulou sua teoria: “Similia similibus curentur”, ou seja, “Semelhante cura semelhante”. Por isso, chamou o conceito de Homeopatia, vinda das palavras gregas Homoios (semelhante) e Pathos (sofrimento).

Claro, somente um caso não é suficiente para atestar a veracidade de uma teoria, por isso, Hahnemann começou uma série de estudos chamados de Provações Homeopáticas, que serviriam para provar que sua nova tese estava, de fato, correta.

Nessa série de provações homeopáticas, Hahnemann aplicou diversos testes em pacientes, que deveriam ingerir várias substâncias e documentar quais sintomas, em quais condições, se apresentariam nas pessoas participantes. 

No final das contas, todos esses estudos feitos por por Hahnemann, e os resultados que ele conseguiu, foram publicados em 1805 e, novamente, mais tarde, no livro Materia Medica Pura em 1810.

Por conta de suas muitas pesquisas e descobertas na área, até hoje, Hahnemann é conhecido mundialmente como “o Pai da Homeopatia”.

Mas e aí? Como prosseguiu a homeopatia?

Os estudos de Hahnemann não terminaram com suas primeiras publicações. O médico continuou seus estudos e chegou à conclusão de que as doenças acabariam se tornando piores para o paciente justamente por causa da quantidade de remédios que eram utilizados para combater a doença.

Hahnemann acreditava que, por causa da visão da medicina tradicional em atacar principalmente os sintomas das doenças, ao invés de buscarem solucionar a causa, os sintomas seriam curados no exterior, mas os males encontrariam novas formas, mais internas e danosas, de continuar atacando o corpo do paciente.

Samuel continuou em seus ideais de encontrar maneiras de tratamento que fossem menos nocivas ao paciente, e menos invasivas também. Assim foi criado o processo pela qual os medicamentos homeopáticos são criados: a dinamização.

O que é a dinamização?

Nesse processo, a substância natural, que agirá como agente de cura, é diluída na água ou álcool. Essa diluição pode ser feita infinitas vezes, conforme a potência em que se deseja o medicamento. 

As diluições homeopáticas são preparadas de acordo com um protocolo definido em 1810 e registrado na Farmacopeia Francesa desde 1965, e são obtidas por meio de operações sucessivas de diluição e dinamização a partir de um insumo ativo, seja em escala 1/10 (chamada de decimais), ou 1/100 (chamada centesimal). 

O número de diluições realizadas é o que define a potência da diluição.
 

A evolução da homeopatia

Mesmo anos após a morte de Hahnemann, suas ideias foram passadas adiante, primeiro por seus alunos, depois a alunos destes, que deram origem a diversos grupos e profissionais que continuam, até hoje, a praticar esta vertente “mais humana” da medicina.

A homeopatia “aportou" em terras brasileiras em 1840, através do francês Benoit-Jules Mure, um dos alunos de Hahnemann, que compartilhou seus conhecimentos. Conhecimentos estes que foram abraçados pelos Positivistas, e logo ganharam força por todo o país.

Desde então, a homeopatia é prática forte em território nacional, tendo sido incorporada em 1980 à lista de especialidades médicas reconhecidas pelo conselho federal de medicina.

Segundo a Associação Paulista de Medicina: "Atualmente existem aproximadamente vinte associações de representação médico-homeopáticas filiadas à AMHB e cerca de dez farmacêuticas, abrangendo todo o território nacional, em muitas delas são realizados cursos regulares de formação em homeopatia." 1

Mas não é um Placebo?

Ao contrário do placebo, a homeopatia possui, sim, diversos estudos que comprovam a veracidade e eficácia dos medicamentos e tratamentos homeopáticos. 

Afinal de contas, a homeopatia já foi estudada em campos como a veterinária e a agricultura, que eliminam completamente a chance de um resultado que tenha sido, de alguma forma, influenciado pelo pensamento do “paciente" já que, nesses casos, nem os animais, nem os vegetais, podem “acreditar" que estão sendo curados.

A homeopatia no dia a dia.

Agora que você já sabe mais sobre como a homeopatia surgiu e como ela funciona, podemos entender melhor sobre como a homeopatia pode ser extremamente benéfica para a saúde em geral.

Mesmo com tudo o que apresentamos, isso não significa que a Homeopatia e a Alopatia sejam práticas que são mutuamente excludentes, ou mesmo “inimigas”. Na realidade, as duas podem (e devem) trabalhar em conjunto, afinal de contas, as duas tratam com um objetivo em comum: a saúde do ser humano.

Vivemos nosso dia a dia sujeitos ao desenvolvimento de várias doenças “corriqueiras”, como gripes, resfriados, e, até mesmo, ansiedade. 

A alopatia funciona muito bem para alguns alívios mais imediatos, como de sintomas de febre, por exemplo. Medicamentos alopáticos tem ação contrária aos sintomas, chamados comumente de anti-sintomas”, por exemplo, na febre em que são utilizados anti-térmicos. 

São anti-inflamatórios, anti-alérgicos, etc…, porque são feitos para curar algo que já está nos acometendo.

Só que isso não significa que precisamos esperar as coisas acontecerem para tomarmos uma atitude, correto? Mas isso também não significa que não seja possível utilizar um medicamento que busque a cura e não somente o tratamento de sintomas. É aí que a homeopatia entra como uma poderosa aliada.

Para quê “esperar" uma gripe quando temos a alternativa de prevenir com um remédio homeopático, 100% natural, sem nenhum tipo de efeito colateral relatado, e que ainda, caso seja preciso, não vá interferir com o funcionamento de outro medicamento alopático? Ou então aquela alergia que sempre volta depois de parar o tratamento alopático?

É sempre importante lembrar que a homeopatia trabalha para manter o equilíbrio do seu corpo, em busca da melhora da resposta orgânica.

Claro, no entanto, que a homeopatia não funciona somente como aliada para adultos, que são plenamente conscientes de tudo que pode estar acontecendo com o próprio corpo. Você já parou para pensar quais benefícios podem vir da homeopatia para as crianças (e até mesmo bebês?). A gente pensou.

A Homeopatia nas fases da infância.

Imagine que você é uma criança, em pleno desenvolvimento, mas que, por diversas razões, pode acabar ficando bastante doente, ou mesmo um bebê, talvez com dores nas gengivas por conta do nascimento dos primeiros dentinhos, sem ter como explicar, de forma racional, o que está sentindo.

Agora coloque-se no lugar dos pais, talvez você até seja um pai ou mãe que já tenha passado por situações parecidas, ou que ainda vá passar. 

Pensando nisso, é justo acreditar que, na posição de um pai ou mãe, procuremos as melhores formas de cuidar dos nossos filhos, ainda mais sabendo que essas formas vão fazer somente bem, sem causar nenhum tipo de efeito colateral indesejado.

Principalmente nos primeiros anos da infância, quando o bebê é extremamente frágil e precisa de muitos cuidados. Não é exagero pensar que qualquer pai ou mãe buscaria formas de aliviar as cólicas, ou o desconforto dos primeiros dentinhos nascendo e rompendo as gengivas.

A Homeopatia entra, principalmente nesses casos, como grande aliada, especialmente em casos de remédios formulados especialmente para essa faixa etária, justamente para tratar dessas dores. Como é o caso do Camilia, que auxilia no alívio das gengivas com dentinhos nascendo, ou o Cocyntal, para as cólicas do bebê. Ainda mais quando se trata da apresentação em flaconetes, que são fáceis de usar e evitam erros que possam ocorrer na hora da dosagem.

É preciso tratar nossas crianças com o maior cuidado e respeito, pois, afinal de contas, o corpo delas tem necessidades que o dos adultos não têm. Com o apoio da homeopatia, é possível ter o tratamento que as encare como indivíduos únicos, com necessidades únicas, que podem ser tratadas com atenção ao que elas demandam.

Mas, logicamente, embora sejam um grupo que demanda muitos cuidados, as crianças não são o único “grupo de interesse” que pode se beneficiar com o uso da homeopatia.

Se, por um lado, temos o começo da vida, e as necessidades próprias que essa fase possui, do outro lado, temos os idosos, já na outra ponta do espectro, também com suas próprias demandas na área da saúde, e que também são atendidas pela homeopatia

A Homeopatia na Terceira Idade.

Nascer, crescer, envelhecer: esse é o curso normal das coisas, isso é biologia pura e simples. Não é novidade para ninguém o fato de que precisamos de mais cuidados médicos com o passar da idade. 

A medicina homeopática vem se colocando como uma grande aliada no tratamento da saúde na terceira idade por não causar os efeitos colaterais gerados pelo uso simultâneo de vários medicamentos. 

Conforme vamos adicionando cada vez mais velinhas no bolo de aniversário, também vão se acumulando as necessidades que o nosso corpo não consegue mais suprir da maneira que fazia antes.

O corpo começa a precisar de uma mãozinha aqui, uma ajudinha ali, um empurrãozinho acolá, e isso é perfeitamente comum. O idoso começa a frequentar vários especialistas e os médicos, baseados em evidências, prescrevem um remédio eficaz para o problema. 

Mas isso pode acabar se tornando um alerta muito grande, afinal de contas, esses tratamentos, geralmente, são baseados em sintomas, e acabam acarretando no uso de diversos medicamentos que, muitas vezes, vêm acompanhados de interações medicamentosas e vários outros efeitos adversos indesejados.

Considerando que, nos corpos idosos, os órgãos se tornam mais sensíveis e não aguentam sobrecargas, isso acaba sendo ainda mais preocupante. Enquanto cuida de um sintoma, o remédio acaba gerando outro problema.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), devido ao maior acesso à saúde e envelhecimento da população, um fenômeno tem ocorrido com maior frequência: a polifarmácia, que é, nada mais, nada menos, do que o uso rotineiro de quatro medicamentos ou mais. Isso ocorre em todas as faixas etárias, atingindo níveis bem preocupantes em idosos.

Nossos corpos, durante toda a vida, trabalham num sistema bem equilibrado, muito bem acertado pela natureza. Por isso, quando algo provoca um desequilíbrio, seja para mais ou para menos, o “sinal amarelo” precisa ser ligado.

O uso de muitos medicamentos pode acabar por agravar o equilíbrio do corpo. Seja por esconder um sintoma importante como alerta da doença ou por prejudicar outros órgãos saudáveis. Com o uso constante de alguns remédios, se a quantidade necessária para cura não for analisada, é possível ocorrer uma intoxicação hepática ou insuficiência renal, por exemplo.

Também não é incomum a interação entre diferentes medicamentos, que podem acabar minimizando, ou até mesmo anulando, o efeito um do outro ou causando danos colaterais.

Por isso que a Homeopatia, também na “melhor idade”, é uma aliada de peso em manter a saúde, afinal de contas, além de prevenir doenças, é baseada em substâncias naturais, extremamente diluídas, também não existem relatos concretos de que causem algum tipo de efeitos colaterais nem que interajam com outros medicamentos.

Numa idade em que a imunidade diminui e gripes e estados gripais se estabelecem com mais frequência, o Oscillococcinum é de grande ajuda na prevenção e no tratamento do problema. Também o Stodal para o tosse ou o  Arnilivium para dores musculares, pernas pesadas, varizes e lesões do dia a dia.

Mas, é claro, isso não significa que a homeopatia se dedica exclusivamente a tratar da infância e da velhice. Também existe todo um “meio do caminho” que é uma área de bastante atuação para a homeopatia.

A homeopatia como aliada no cotidiano de adultos.

Se a homeopatia já se provou grande aliada na saúde de crianças e idosos, claro que os adultos não seriam deixados de lado, afinal, a homeopatia busca trazer saúde para todo mundo.

Engana-se quem pensa que os corpos adultos não tenham suas próprias necessidades. Principalmente considerando que, nos dias atuais, com a agitação da vida e das responsabilidades de um adulto ativo, é relativamente fácil precisar de uma ajudinha de vez em quando.

Todos os dias temos diversas preocupações em nossas vidas. Trabalho, faculdade, transporte, academia, filhos, família, casa, até mesmo hobbies (se sobrar tempo, é claro). Por melhor que alguém consiga gerenciar tudo isso, não somos máquinas e, com certeza, nosso corpo precisa de algum descanso uma hora. É preciso respeitar o equilíbrio.

Graças a todas essas demandas, e a correria que, geralmente, vem atrelada a elas, muitas vezes temos dificuldades de desacelerar nosso corpo e nosso pensamento ao final de um dia. Por isso, não descansamos como deveríamos e, no dia seguinte, retomamos a mesma rotina, mas com um pouco menos de energia do que no dia anterior.

Não é de se admirar que tenha se falado tanto em saúde mental ultimamente. Palavras como Burnout se tornaram corriqueiras em nossas vidas. Não raro vemos relatos em redes sociais de pessoas que tiveram episódios em que o estresse se tornou tão absurdo que medidas precisaram ser tomadas. 

Não é preciso ser nenhum expert para concluir que toda essa agitação e necessidade constante de estarmos no controle, cobra seu preço, mas que também não é algo para qual não exista uma solução.

A homeopatia é uma solução muito procurada, graças aos seus pontos fortes. Remédios homeopáticos, como o Sédatif PC, que ajudam a combater os sintomas de ansiedade e distúrbios do sono, e vêm acompanhados das vantagens de serem 100% naturais e não causarem dependências ou qualquer outro tipo de efeitos colaterais. 

São vantagens que não vêm atreladas à nenhum outro tipo de desconforto que possa surgir pelo tratamento.

Óbvio que esse não é o único caso em que a homeopatia se torna uma aliada. O caso da polifarmácia não atinge somente aos idosos. Crises alérgicas, rinites, baixa imunidade, e até mesmo anti-inflamatórios são algumas das opções que a homeopatia pode oferecer para trabalhar em prol da sua saúde. O Coryzalia é muito procurado, por exemplo, para corizas e rinites. 

Vivemos também um tempo prolongado em frente da telas, em ambientes com ar condicionado, estamos sujeitos a poluição ou fazemos uso de lentes de contato e tudo isso pode prejudicar a visão. Homéoptic auxilia no tratamento da irritação e desconforto oculares e é tão seguro quanto uma lágrima.

Seja você um atleta (profissional ou somente nas horas vagas), uma gestante que quer ter mais segurança sobre os medicamentos que usa enquanto o bebê não nasce, ou mesmo durante a amamentação2, alguém sofrendo dos estresses do dia-a-dia, ou somente alguém preocupado em manter o bom equilíbrio natural da saúde, a homeopatia pode ser uma excelente via.

E tudo isso com certeza tem algum impacto no meio-ambiente, não é mesmo?

O respeito ao indivíduo, pilar fundamental da homeopatia, é algo que só se atinge ao englobar diversas camadas de compreensão da natureza. Não poderíamos levantar esse respeito como bandeira por cuidar do seu equilíbrio natural se, por outro lado, estivéssemos comprometendo outro equilíbrio natural: o do nosso planeta.

Os medicamentos homeopáticos são 100% naturais, obtidos através de muito estudo e compreensão de propriedades minerais, animais, ou vegetais, portanto, não seria uma atitude muito inteligente se, de alguma forma, estivéssemos contribuindo para que todas essas substâncias que usamos para cuidar de você, de repente, não estivessem mais disponíveis por razão do uso  não consciente delas.

O respeito ao meio-ambiente é peça chave na elaboração dos medicamentos homeopáticos, porque nós somos parte do equilíbrio da natureza, e não se restabelece um equilíbrio enquanto se causa o desequilíbrio de outro.

A Boiron, em específico, tem um forte senso de respeito com o meio ambiente. A preparação dos medicamentos tem limitado impacto ambiental. 

Por conta dessa preocupação quanto aos efeitos provocados pela extração matéria prima, a Boiron possui fazendas orgânicas próprias, além de promover reflorestamentos. Este processo melhora a qualidade da matéria prima usada na produção.

A Boiron também trabalha com debulhadoras botânicas utilizadas para diagnosticar a terra e melhor desenvolver a estratégia de renovação dos suprimentos para o futuro. Geralmente, deriva as plantas de matéria-prima de recursos naturais, conforme o equilíbrio da natureza e com as especificações da farmacopeia.

E o que mais a Boiron tem de participação em tudo isso?

O nome Boiron, há quase 90 anos, é sinônimo de qualidade quando se fala de medicina homeopática. Fundada em 1932, pelos irmãos franceses Jean e Henri Boiron, a Boiron tem a crença fundamental de que a homeopatia é uma maneira de se sentir bem, a melhor maneira de se trabalhar naturalmente com o seu corpo. 

Somos, desde a nossa fundação, comprometidos com o desenvolvimento de medicamentos naturais, nossa paixão é a saúde completa.

É por isso que nos tornamos líderes mundiais no segmento de medicamentos homeopáticos. levando a homeopatia para mais de 80 países, contando com aproximadamente 4000 colaboradores no mundo.

Há mais de 80 anos, a Boiron tem o compromisso de financiar pesquisas científicas e com a educação do consumidor e dos profissionais da saúde sobre os benefícios dos medicamentos homeopáticos. 

No Brasil, país escolhido pra inaugurar a primeira farmácia de manipulação em todo mundo, a Boiron mantém os mais altos padrões de produção, seguindo os regulamentos da ANVISA.

A transparência também é uma premissa da Boiron. Não é a toa que a informação contínua pelo blog e redes sociais aborda conhecimentos sobre homeopatia e dicas de saúde além dos processos de plantação dos insumos à produção dos nossos medicamentos.

E essa transparência pode ser vista, de forma literal, na Farmácia Boiron em São Paulo. Com paredes de vidro, todo o processo de preparação dos medicamentos pode ser acompanhado por quem estiver lá dentro. A tecnologia, o expertise, o empenho e cuidado podem ser vistos em primeira mão por qualquer cliente que passar por lá.

E a homeopatia daqui pra frente?

Não sabemos se, em 1796, Samuel Hahnemann já tinha consciência da importância que a homeopatia teria, não somente na medicina, mas nas vidas de milhares de pessoas. O que nós sabemos é que, hoje, nós temos essa consciência.

Sabemos que há uma missão e dever de espalhar a prática e contar ao máximo de pessoas possível que existe sim uma maneira mais respeitosa de se tratar o corpo delas, uma maneira que busca trabalhar naturalmente a cura.

Então, não, não sabemos exatamente para onde a homeopatia vai, mas sabemos que estaremos sempre estudando novas maneiras de aperfeiçoar essa vocação tão nobre que beneficia, e muda, a vida de tantas pessoas ao redor do mundo.

Sabemos que, onde quer que a inovação e o respeito ao ser humano, e ao equilíbrio natural estiverem, com certeza, lá vai estar a homeopatia também. Esta é uma certeza, e uma continuação da nossa arte, sempre em constante atualização.

E então? Que tal esse “mergulho" pelo mundo da homeopatia?

Esperamos que esse texto tenha ajudado você a conhecer um pouco mais, e tirar suas dúvidas sobre a homeopatia. De onde surgiu, como é feita, quem pode se beneficiar, e até mesmo um pouquinho mais sobre a Boiron.

Sim, nós sabemos que colocamos "tudo" (e um pouco mais) no título desse texto, mas, se você quiser um pouco mais além desse um pouco mais, convidamos você a continuar seguindo nossas postagens em redes sociais, blog, e a se inscrever em nossa newsletter, onde você terá ainda mais conteúdo relevante sobre a homeopatia.

Se você aprendeu mais com esse texto, que tal mandar para alguém que pode querer saber mais sobre o assunto? Junte-se à nós nessa jornada em tornar a homeopatia, cada vez mais, a opção segura de escolha pra quem quer uma vida mais saudável. Vamos juntos.

Até a próxima





Referências:


1 - Extraído de https://aph.org.br/a-homeopatia-no-brasil. Acesso em 21/07/2021.
2 - Se você está grávida, ou amamentando, pergunte ao médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento, inclusive medicamentos homeopáticos Boiron.


 



Medicamentos homeopáticos
Separador
NOSSOS VALORES A MANEIRA BOIRON DE SER Na Boiron, nós acreditamos que existe uma melhor maneira de se sentir bem. A melhor maneira de se trabalhar naturalmente com o seu corpo. Desde 1932, a família Boiron tem se comprometido com o desenvolvimento de medicamentos naturais. Como líder mundial de medicamentos homeopáticos nossa paixão é a saúde completa.

Nossa promessa é sua máxima satisfação.
ver mais
Boiron
PRECISA DE AJUDA? Entre em contato utilizando os dados abaixo, ficaremos felizes em tirar suas dúvidas:


SAC: 0800-724-5858

ASSINE NOSSA NEWSLETTER Assine nossa newsletter e fique sabendo de novidades e promoções!



enviar